Est. June 12th 2009 / Desde 12 de Junho de 2009

A daily stopover, where Time is written. A blog of Todo o Tempo do Mundo © / All a World on Time © universe. Apeadeiro onde o Tempo se escreve, diariamente. Um blog do universo Todo o Tempo do Mundo © All a World on Time ©)

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Janela para o passado - gravador de vídeo Akai, 1972

Iconografia do tempo - ampulhetas, Caixa Geral de Depósitos, 1998


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Relógios & Canetas online - Maurice Lacroix


Descarregue todas as edições do Relógios & Canetas online. Aqui, aqui ou aqui.

Com os relógios Fortis na Esquadra 501, no Montijo


Estivemos na festa dos 40 anos da Esquadra 501 Bisontes, que decorreu por estes dias na Base Aérea do Montijo. No âmbito das comemorações, a SRI - Sociedade de Relojoaria Independente produziu uma edição especial de um Fortis, marca que representa no mercado nacional.

O Fortis Aeromaster Professional Bisontes tem caixa de 42 mm, de aço revestido a PVD negro e bracelete integrada (de pele, borracha ou aço). Tem vidro de safira na frente e no verso. É estanque até 200 metros.

No interior, um calibre automático (ETA 2836-2N), com indicação de dia e data. Garante uma autonomia de quase 48 horas.



Limitado a 50 exemplares, o Fortis Aeromaster Professional Bisontes está personalizado no mostrador e no verso: lema da esquadra "Onde Necessário, Quando Necessário", silhueta de um Hercules C-130 e logótipo do 40º aniversário no mostrador; no verso, logótipo "Bisontes 501" estampado no vidro. Cada relógio leva gravado, na lateral, o nome do seu possuidor. O preço promocional para os militares da Esquadra 501 no activo vai dos 1.600 aos 2.000 euros, dependendo do bracelete.





Foto de grupo na confraternização dos 40 anos dos Bisontes






O representante da SRI - Sociedade de Relojoaria Independente, Jorge Pinheiro, com os comandos da Esquadra 501 Bisontes

Meditações - à espera do novo dia

Cismamos em que nada vale a pena...
E esperamos que o novo dia venha.

Carlos Queiroz

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Relógios-anel Petrus, 1988


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Janela para o passado - curso de línguas, Philips, 1972

Relógios & Canetas online - Louis Erard


Descarregue todas as edições do Relógios & Canetas online. Aqui, aqui ou aqui.

Em Le Locle, na apresentação do Defy Lab da Zenith, com um novo orgão regulador


Estivemos recentemente em Le Locle, Suíça, sede histórica da Zenith, para a apresentação mundial de uma novidade técnica ao nível do orgão regulador do relógio. Segundo a manufactura, nada mudou desde que, em 1675, o holandês Christiaan Huygens apresentou a solução da roda de balanço e espiral para se conseguir fracções iguais de tempo, conseguindo-se assim um avanço considerável na exactidão dos relógios.

Nada mudou... até que a Zenith concebe um novo orgão oscilador e o aplica no Defy Lab. Este novo oscilador é um bloco monolítico, feito de silício monocristalino (com zonas mais finas que um cabelo humano), e que substitui o tradicional conjunto balanço/espiral. Os cerca de 30 componentes de um orgão regulador normal (e que exigem montagem, ajuste, teste e lubrificação) são assim substituídos por um único elemento, com apenas 0,5 mm de espessura (comparado com os habituais 5 mm9.

Este novo orgão regulador vibra a uma frequência de 15 Hertz, com uma amplitude de +/- 6 graus, garantindo quase 60 horas de autonomia.

Dada a alta frequência, consegue-se um isocronismo quase 10 vezes superior ao de um calibre já de si excepcional como é o histórico El Primero da Zenith (com 5 Hertz de frequência). A sua taxa de variação diária é de apenas 0,3 segundos (um cronómetro certificado COSC deve estar nos parâmetros de -4 e +6 segundos, ou seja, até 10 segundos por dia).

O novo oscilador da Zenith consegue manter o isocronismo para além das 24 horas habituais (à medida que cvão perdendo energia, os relógios também perdem exactidão). O novo oscilador mantém o grau de precisão inalterado durante 95 por cento da sua reserva de corda.

Não necessitando de lubrificação, dado que não provoca atrito, é insensível às mudanças de temperatura, à gravidade e aos campos magnéticos, todos eles factores que afectam o comportamento de um conjunto balanço/espiral clássicos.

Os relógios Defy Lab apresentsdos com o novo orgão regulador são triplamente certificados - cronometria pelo Observatório de Besançon, resistência às alterações de temperatura pela norma ISO3159, e resistência a campos magnéticos pela norma ISO-764, excedendo-a 18 vezes (para o relógio completo, resistindo a 88.000 Amperes por metro ou 1.100 Gauss.




Comparação de um orgão regulador normal, com o conjunto balanço/espiral, com o novo apresentado pela Zenith. A principal diferença está no princípio mecânico aplicadom ao conjunto - em vez do movimento de expansão e contracção da espiral, há vibração e dobragem das partes mais finas do conjunto, enquanto a âncora normal passa a ter um novo formato. O orgão regulador divide em fracções de tempo iguais a força que lhe vem do tambor da corda, através do chamado trem de rodas. Essa divisão é depois transmitida, por meio de outras rodas, aos ponteiros.




A apresentação esteve a cargo de Jean-Claude Biver, Presidente da Divisão de Relógios do Grupo LVMH, a que a Zenith pertence,


Guy Sémon, CEO do Instituto de Ciência do grupo LVMH, o cérebro por detrás do conceito do Defy Lab


Jack Heuer, que em 1969 era concorrente directo da Zenith na corrida ao primeiro cronógrafo automático (aquela apresentava o El Primero, ele diriga a Heuer e fazia parte do consórcio que lançou o outro), esteve presente. A TAG Heuer faz hoje parte do universo LVMH.


Julien Tornare, novo CEO da Zenith, também esteve presente









O novo orgão regulador foi aplicado aos primeiros relógios Zenith Defy Lab - uma edição especial de dez exemplares, cada um único, todos já vendidos mesmo antes do lançamento. Têm caixa de 44 mm, feita de Aeronith, a liga de alumínio mais leve do mundo. No interior, um novo calibre automático, o ZO 342, o primeiro a usar o novo oscilador.

Meditações - horas bem empregadas


O. S. Marden

domingo, 17 de setembro de 2017

Relógios e jóias Chaumet, 1998


Casa & Jardim, 1998 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Relógio-calculadora Casio, 1988


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Janela para o passado - Filmoda, 1972

Em Nice, com o novo relógio Frédérique Constant Slimline Moonphase Stars Manufacture


Estivemos recentemente em Nice, na Côte d'Azur (ou Riviera Francesa), para a apresentação mundial do novo relógio feminino da Frédérique Constant, o Slimline Moonphase Stars Manufacture.

Desenhado por Aletta Stas, co-fundadora da manufactura genebrina, o relógio está disponível em caixa de 38,8 mm, de aço ou aço com plaqué ouro rosa e 60 diamantes na luneta. Na frente e no verso, vidro de safira. No interior, o novo calibre da casa (FC-701), um automático com fases de lua, decorado com Perlage e  Côtes de Genève. Mostrador azul escuro ou negro, com estrelas prateadas ou rosa desenhadas.

O Slimline Moonphase Stars Manufacture deverá ter um PVP a rondar os 5 mil euros.


O evento começou com um almoço de boas-vindasà imprensa internacional, no restaurante Le Plongeoir. Como o nome indica, era neste sítio que, até há pouco tempo, os jovens de Nice se atreviam a lançar-se em mergulho arriscado para as águas do Mediterrâneo. Os mergulhos foram proibidos e, no promontório rochoso nascia o Le Plongeoir, hoje um dos sítios mais "in" da cidade.







Vista do hotel Aston La Scala, onde ficámos.







A apresentação do relógio ocorreu ao fim da tarde de um dia solarengo, sem vento e com uma visibilidade extraordinária do ar (tinha chovido no dia anterior). Como o Slimline Moonphase Stars Manufacture tem fases de lua e estrelas no mostrador... o local não podia ter sido mais bem escolhido - o Observatório Astronómicos da Côte d'Azur. Um edifício construído por Charles Garnier no cimo do Mont-Gros, no coração de um parque com 35 hectares, sobranceiro à baía de Nice.














O casal Peter e Aletta Stas, fundadores da Frédérique Constant (hoje fazendo parte do grupo Citizen) apresenta o Slimline Moonphase Manufacture Stars








O Observatório tem a mair cúpula móvel da Europa, construída por Gustave Eiffel, e o maior telescópio de lentes do mundo ainda a funcionar. O Director do Observatório, Jean-Pierre Rivet, fez uma breve palestra sobre a relação entre a Astronomia e o Tempo e os seus medidores, os relógios.











O dia terminou com um jantar nos jardins do Observatório, com telescópios espalhados pelo local, para os convidados apreciarem os anéis de Saturno.